Prótese ou implante dentário, qual o melhor?  | CEIPE Clínica Odontológica

Prótese ou implante dentário, qual o melhor?

Prótese ou implante dentário, qual o melhor?  | CEIPE Clínica Odontológica

Uma dúvida muito comum para todas as pessoas que precisam corrigir a perda de um ou mais dentes é saber qual a melhor solução, se optar por uma prótese ou implante dentário. Saiba que ambos são indicados pelos dentistas, mas existem diferenças na indicação, higiene bucal, alimentação e demais cuidados.

Prótese ou implante dentário: confira neste post as principais diferenças.

Próteses: móveis e fixas

As próteses dentárias são uma maneira de reconstruir ou substituir dentes extremamente danificados ou perdidos e, inclusive, a falta de estruturas moles ou duras da mandíbula e do palato (céu da boca).

São indicadas para devolver ao paciente as características e funções de uma dentição completa e saudável, reabilitando a mastigação e preservando a musculatura e as articulações da boca.

As próteses dentárias podem ser divididas em fixas, quando são cimentadas no dente, ou móveis, como as dentaduras e próteses parciais que podem ser retiradas e higienizadas diariamente.

Próteses dentárias fixas

É uma das soluções mais empregadas para repor dentes perdidos, enfraquecidos em função das restaurações ou para substituir dentes escurecidos. O resultado fica muito parecido com um dente natural e proporciona ao paciente muito conforto e confiança.

Pode ser construída apenas com porcelana ou associada a uma estrutura metálica. As porcelanas mais modernas possuem aspecto extremamente natural, reproduzindo as características dos dentes, além de possuírem uma durabilidade excelente.

Próteses dentárias removíveis

As próteses removíveis podem ser totais ou parciais. Podem ser de acrílico ou de um material mais moderno (flexite), dispensando o uso de grampos metálicos, que geralmente comprometem a estética e com ótima adaptação.

Como o próprio nome sugere, a prótese flexite é confeccionada com resinas termoplásticas, um material flexível que pode ser facilmente dobrado, porém muito resistente.

Implantes dentários

O implante dentário é um dos tratamentos mais indicados quando o assunto é reabilitação bucal. Os implantes dentários substituem as próteses removíveis e dentaduras por dentes fixos, devolvendo a completa função da mastigação, fonética e estética.

Dessa forma, além da estética, o paciente não tem mais a preocupação em manusear a dentadura várias vezes ao dia para higienização.

O implante dental é uma estrutura de titânio que substitui a raiz de um dente perdido. Serve de apoio para a prótese (com um ou mais dentes), que deve ser semelhante aos dentes naturais em estética e função.

Pode ser utilizado para repor apenas um dente perdido ou até mesmo toda a dentição de uma pessoa. Após a instalação dos implantes haverá a osseointegração, isto é, o osso se solidifica no implante e é capaz de suportar a mastigação.

Cuidados na higiene e alimentação

Tanto na prótese quanto no implante dentário, o paciente poderá ter uma alimentação normal. Apenas para aqueles que fazem o uso da prótese total, a chamada dentadura, não é recomendada a ingestão de alimentos muito grudentos, pois podem deslocar a prótese verticalmente.

No caso da higiene, as próteses requerem um pouco mais de trabalho do que o implante dentário. Dependendo do modelo, se fixa ou móvel, a limpeza precisa ser feita em etapas e com ferramentas específicas. A prótese dentária geralmente necessita de escovas interdentais.

Na removível ou móvel, deve ser feita a higiene separadamente da boca, com uma escova macia e é recomendável, ainda, o uso de algum limpador de dentaduras.

Quem faz implante dentário pode realizar uma higiene tradicional, com escovação, fio dental e enxaguante. E lembrando que, além da correta higiene bucal diária, é importante frequentar o consultório odontológico ao menos uma vez ao ano, de forma preventiva e não apenas quando surgem problemas.

Assim você mantém um bom resultado do tratamento e deixa sua boca livre das doenças causadas pelo aumento da placa bacteriana, como a gengivite e a periodontite.

Com a evolução dos tratamentos odontológicos, próteses e implantes dentários estão mais acessíveis e com resultados estéticos e funcionais duradouros.

Por isso, se ainda resta dúvida sobre qual a melhor opção, se prótese ou implante dentário, saiba que para cada caso de falta de dentes há uma indicação específica e deve ser acompanhado de um diagnóstico feito por um profissional capacitado.

protese-dentaria-ceipe-joinville

 

CEIPE – CRO 350 – Responsável Técnico: Dr. Rafael Oliveira Rosa – CRO 2225

Próteses dentárias Ceipe Joinville

Próteses dentárias: o que é, modelos e onde realizar

Próteses dentárias Ceipe JoinvilleA perda de um, vários ou até mesmo todos os dentes compromete o bem-estar físico e emocional das pessoas. Apesar de uma grande parte da população brasileira apresentar perda de dentes, o problema não pode ser considerado banal. Se a falta dos dentes não for corrigida, o paciente pode ter sérios problemas como modificação da mordida, perda da eficiência na mastigação e desconforto nas articulações da boca. É que além do fator estético, a falta de dentes pode afetar a estrutura bucal e a saúde como um todo. Traz dores, desconforto e até dificuldade de ingestão e digestão de alimentos e absorção de seus nutrientes.

Se este é o seu caso, não há motivos para não buscar o tratamento adequado. Uma vez que as pessoas perdem dentes diferentes por circunstâncias diversas, existem também vários tipos de próteses que podem ser indicados para a realidade de cada paciente. Certamente uma, ou uma combinação de soluções, trará de volta um sorriso bonito, pleno e saudável.

Neste artigo serão apresentadas as melhores soluções e o que há de mais moderno entre os tipos de próteses dentárias disponíveis.

O que são próteses dentárias?

Prótese dentária é a forma de reconstruir ou substituir dentes extremamente danificados ou perdidos e, inclusive, a falta de estruturas moles ou duras da mandíbula e do palato (céu da boca). É indicada para devolver ao paciente as características e funções de uma dentição completa e saudável, reabilitando a mastigação, melhorando a estética e auxiliando a fala. A prótese dentária também é essencial para preservar a musculatura e as articulações da boca.

Tipos de próteses dentárias: Fixas e Removíveis

Os diferentes tipos de próteses dentárias podem ser divididos em fixas, quando são cimentadas no dente, e removíveis ou móveis, como as dentaduras e próteses parciais que podem ser retiradas e higienizadas diariamente. Confira as características e indicações de cada uma delas.

Próteses dentárias fixas

É uma das soluções mais empregadas para repor dentes perdidos, enfraquecidos em função das restaurações ou para substituir dentes escurecidos. O resultado fica muito parecido com um dente natural e proporciona ao paciente muito conforto e confiança. Pode ser construída apenas com cerâmica ou porcelana ou associada a uma estrutura metálica. As porcelanas mais modernas possuem aspecto extremamente natural, reproduzindo as características dos dentes, além de possuírem uma durabilidade excelente.

Há diferentes tipos de porcelana, conforme você verá a seguir:

Facetas

São finas próteses (restaurações) de porcelana ou resina composta fixadas na parte externa dos dentes, como uma espécie de revestimento, proporcionando uma aparência bem natural. Elas são usadas para corrigir falhas e trincas, dentes desalinhados, desgastados, manchados ou com espaçamento. Esta é a alternativa mais rápida para correção de posição dos dentes. Com as facetas é possível, também, aumentar o tamanho dos dentes. As facetas requerem maior desgaste para sua fixação do que as lentes de contato, sendo indicadas para dentes que possuem múltiplas restaurações, ou que a cor esteja muito alterada, escurecida.

Lentes de contato

É o que há demais moderno e rápido no mercado entre os tipos de tratamento odontológicos. O material simula o esmalte natural dos dentes, dando um aspecto bonito e natural. A lente de contato dentária é um laminado de porcelana ainda mais fino que a faceta (entre 0,3 e 0,5 mm). É indicada para eliminar imperfeições, corrigir formas, aumentar e alinhar os dentes. As lentes não prejudicam os dentes, desde que haja a indicação correta e o procedimento seja feito adequadamente.

Inlay/onlay de porcelana (coroas parciais)

Chamadas também de restaurações indiretas, as coroas parciais podem ser inlay ou onlay. A diferença entre elas é que a inlay não envolve as cúspides (pontas dos dentes), enquanto a onlay sim, envolve a recuperação de uma cúspide ou mais. Tratam-se de restaurações feitas fora da boca. A partir de uma moldagem é confeccionada em laboratório uma restauração que será cimentada na cavidade dentária, seja por lesão de cárie ou substituição de restaurações amplas deficientes. A coroa parcial pode ser confeccionada em resina composta ou porcelana.

Coroa

As coroas dentárias ou overlay são fixas, cimentadas no dente. São utilizadas para cobrir uma parte da coroa de um dente danificado ou cobri-lo completamente. Além de proporcionar maior resistência ao dente, a coroa pode ser utilizada para melhorar a aparência, o formato ou alinhamento dos dentes. Pode ser indicada para substituir uma grande restauração quando não restar muita estrutura do dente, proteger um dente enfraquecido por fraturas, restaurar um dente já fraturado, cobrir implantes dentários ou dente descolorido ou deformado e cobrir um dente que tenha passado por tratamento de canal.

Prótese fixa sobre dente

As coroas podem ser adaptadas sobre o dente, se houver estrutura dentária suficiente para receber essa prótese.

Prótese fixa sobre implante

Muitas vezes a prótese fixa precisa ser feita sob implantes. Isso ocorre quando o dente foi completamente perdido.

Protocolo Dentário (Dentadura Fixa)

A dentadura fixa é rígida e imóvel, o que permite uma mastigação semelhante à dos indivíduos com dentes naturais. Promove uma união estável aos ossos da arcadas dentárias através dos implantes dentários ósseo-integrados. É preciso realizar exames de sangue e tomografias, para selecionar os implantes mais compatíveis com a qualidade e quantidade de osso existente nas arcadas. Após a cirurgia, é preciso aguardar alguns meses até que os implantes estejam rigidamente integrados ao osso (ósseo-integração). Passada essa etapa, são confeccionadas as dentaduras fixas sobre os implantes dentários instalados.

Próteses dentárias removíveis

As próteses removíveis podem ser totais ou parciais. Podem ser de acrílico ou de um material mais moderno (flexite), dispensando o uso de grampos metálicos, que geralmente comprometem a estética e com ótima adaptação. Como o próprio nome sugere, a prótese flexite é confeccionada com resinas termoplásticas, um material flexível que pode ser facilmente dobrado, porém muito resistente.

Prótese Total

A famosa “dentadura” é indicada para pacientes que, por traumas ou doença periodontal, perderam todos os dentes. A prótese total é uma solução rápida e prática para recuperar a estética e a função da mastigação. Feita com base na anatomia da boca e do maxilar da pessoa, a peça é encomendada sob medida em um laboratório especializado. Como ela só fica apoiada na mucosa, ou seja, na gengiva, pode ser retirada e recolocada novamente na boca. Por ser removível, facilita a higienização. Para preservar a saúde bucal do paciente, ela precisa ser substituída periodicamente em função do desgaste do material e das alterações da boca com o passar do tempo.

O sucesso deste tratamento está relacionado a quantidade de osso remanescente e da qualidade do tecido mole (gengiva) que reveste esse osso. Por isso, as próteses totais podem ser adaptadas sobre a mucosa (gengiva), ou seja, totalmente encaixadas, mas soltas. Também podem ser feitas sobre implantes de encaixe, onde a dentadura fica presa, mas é possível encaixar e desencaixar para fazer a limpeza.

Prótese Parcial Fixa

As próteses parciais fixas são utilizadas para restaurar ausências de peças dentárias entre os dentes naturais ou entre implantes dentários. É indicada quando a pessoa perdeu dois ou até seis dentes naturais, com um espaço protético não muito grande e que tenha pelo menos dois dentes que podem ser usados como suporte – um posterior e um anterior ao espaço protético. Essa condição é necessária porque essas próteses são apoiadas nos dentes vizinhos, que são desgastados para recebê-las, unindo os dentes e fazendo com que não seja possível removê-las para a escovação, por exemplo. Normalmente são feitas de metal revestido com porcelana

Prótese Parcial Removível

É uma das soluções indicadas quando permanecem alguns dentes naturais preservados. Ela serve para recompor estruturas dentais quando a confecção de uma prótese dental fixa não é viável, no caso de perda de maior extensão de dentes. Popularmente conhecida como ponte móvel, possui uma armação metálica com dentes artificiais e é fixada na boca do paciente através de uma espécie de grampo de metal. Ela pode ser removida para uma melhor higienização. Também é uma possibilidade provisória quando o paciente não tem condições, seja por causa da sua saúde ou até pela questão financeira, de fazer um procedimento mais definitivo, como a colocação de implantes fixos.

Como escolher uma clínica de próteses dentárias?

Você nem imaginava a quantidade e os diferentes tipos de próteses dentárias disponíveis, não é mesmo? Mas tão importante quanto saber qual é a melhor solução para o seu caso, é procurar uma clínica que seja especialista em Prótese, Implantodontia e Dentística (estética bucal). Assim você terá certeza de que fez a melhor escolha para um resultado estético, funcional e duradouro.

Referência em odontologia há duas décadas, o CEIPE busca não apenas tratar a saúde bucal dos pacientes, mas também proporcionar um estado de bem-estar geral, com um atendimento individualizado. Para isso, utiliza os mais modernos equipamentos e materiais.

Sua equipe de especialistas está em constante atualização e participa de congressos nacionais e internacionais para trazer o que há de mais moderno em odontologia restauradora e estética. Tudo para aprimorar o atendimento e os serviços para uma avaliação completa das necessidades dos pacientes e indicação do melhor tratamento.

Deseja saber qual a melhor solução de prótese dentária para seu caso? Faça um contato com a nossa equipe e agende sua primeira consulta com um de nossos especialistas. Basta clicar aqui.

Como é feito o implante dentário? | Ceipe Odontologia Joinville

Como é feito o implante dentário?

O implante dentário é uma alternativa altamente indicada para quem busca um sorriso bonito e natural e está cada vez mais ao alcance de todos que perderam um ou mais dentes. São muitos os benefícios, entre eles está o de devolver a completa função da mastigação, fonética e estética.

Mas se ainda restam dúvidas de como é feito o implante dentário e, principalmente, se vai ser complicado e se vai sentir dor, este artigo foi feito para você. Nele, são apresentadas seis perguntas e respostas para acabar com as incertezas sobre o assunto.

1- O que é implante?

Implantes dentários são formados a partir de uma estrutura de titânio que substitui a raiz de um dente perdido. Esta estrutura serve de apoio para a prótese (com um ou mais dentes). Eles substituem as próteses removíveis e dentaduras por dentes fixos. Pode ser utilizado para repor apenas um dente perdido ou até mesmo toda a dentição de uma pessoa.

2- Quem pode fazer o implante?

Para receber o implante o paciente já deve ter passado a fase de crescimento, por volta dos 18 anos, para não ocorrer nenhum problema para o desenvolvimento normal de seu complexo craniofacial. Também deve apresentar boas condições de saúde e possuir espessura e altura ósseas para a colocação do pino. Mas mesmo aqueles pacientes com pouca espessura óssea podem ter uma chance de realizar o tratamento pois já existem técnicas bem eficientes de ganho de massa óssea para colocar implantes.

3- Existe contraindicação?

Há restrições quanto aos implantes no caso de pessoas diabéticas não tratadas ou que utilizam medicamentos que afetam a cicatrização óssea, hipertensos não compensados, pacientes com problemas cardíacos, quem está em tratamento de radioterapia ou portadores de HIV (AIDS). Mesmo com estas restrições é importante consultar um dentista para avaliar o seu caso e ter uma liberação médica, no caso de pacientes em tratamento.

4- Vou ter que fazer uma cirurgia?

Sim, os implantes que substituirão as raízes naturais dos dentes são colocados por meio de cirurgia, que é realizada no próprio consultório odontológico, com anestesia local. Em seguida vem a etapa de instalação das próteses dentárias de porcelana que ocuparão o lugar dos dentes naturais ausentes ou deteriorados. No caso de implantes com carga imediata, dentes provisórios são colocados no mesmo dia da cirurgia. Nos casos tradicionais, o paciente deve aguardar durante 2 ou 3 meses para a colocação dos dentes definitivos inferiores e dentre 5 a 6 meses para os dentes da arcada superior. Após a instalação dos implantes ocorre a osseointegração, isto é, o osso se solidifica no implante e é capaz de suportar a mastigação

5- Vou sentir dor?

Na colocação de implantes é feita anestesia é local, exatamente a que se toma para qualquer outro tratamento dentário para que não haja dor. Assim como o procedimento, o pós-operatório também é tranquilo. Recomenda-se o uso de analgésico, antibiótico e anti-inflamatório. Desse modo o paciente terá uma recuperação rápida e sem desconforto, podendo voltar às suas atividades de trabalho já no dia seguinte, com moderação.

6- Que tipo de profissional pode fazer o implante?

Para passar por esse procedimento com tranquilidade e segurança, o profissional indicado é um cirurgião-dentista especialista em implantes dentários. Procure por um profissional experiente e com todas as qualificações para fazer implantes, como especializações e pós-graduações. Ele saberá indicar e realizar o melhor procedimento para sua completa reabilitação bucal.

Quer saber mais detalhes sobre como é feito o implante dentário? Baixe o material completo no link abaixo:

 

 

Clínica de clareamento dental: por que escolher o CEIPE

Clínica de clareamento dental: por que escolher o CEIPE? [Recomendado]

Clínica de clareamento dental: por que escolher o CEIPE

Se você procura ter aquele sorriso de artista saiba que ele está mais perto da sua realidade.

Nos últimos anos, as técnicas odontológicas tiveram uma grande evolução e há uma crescente procura por tratamentos cosméticos e estéticos. Mas buscar uma clínica de clareamento dental, com profissionais experientes, é fundamental para a correta indicação, previsibilidade e segurança para cada caso.

Isso porque os riscos de fazer clareamento dental sem acompanhamento de um dentista ou com profissionais que não são especializados, são muitos.

Neste artigo você confere os diferenciais da CEIPE para fazer um tratamento de clareamento dental seguro para um sorriso mais branco e brilhante.

Especialistas em odontologia estética

A equipe de especialistas da CEIPE está em constante atualização e participa de congressos nacionais e internacionais para trazer o que há de mais moderno em odontologia estética e restauradora.

Dessa forma, a clínica oferece um atendimento integral e todos os serviços para uma avaliação completa das necessidades dos pacientes e indicação do melhor tratamento.

Veja aqui o currículo dos especialistas da CEIPE em clareamento dental.

Materiais e técnicas modernos

Os materiais e as técnicas utilizados pelos especialistas da CEIPE para clareamento dental são os mais modernos e os mais seguros.

Todo esse arsenal evita problemas que poderiam ser causados por exposição do agente clareador em altas concentrações e por falta de barreiras de contenção adequadas (para evitar que a gengiva entre em contato com o produto clareador). Com isso, apresentam os melhores resultados e mais duradouros evitando, ainda, comprometer a saúde bucal.

O tratamento de clareamento dental pode ser realizado de duas formas:

  1. Clareamento caseiro: o dentista recomenda o uso de um kit de clareamento e desenvolve uma moldeira com o formato exato da sua arcada dentária para que você aplique o produto em casa com segurança. Isso é fundamental para evitar problemas de hipersensibilidade, com danos na mucosa da boca e nas raízes dos dentes.
  2. Clareamento de consultório: o dentista realiza tratamentos profissionais com agentes clareadores concentrados diretamente no consultório. É um dos procedimentos mais rápidos e potentes que existem chegando a clarear em alguns casos até dez tons no período de uma hora.

Beleza com segurança

Como foi visto, um tratamento feito por um profissional de odontologia é uma opção estética segura, evitando todos os riscos de um clareamento dental mal conduzido.

Quando o seu dentista está ciente de condições pré-existentes e de seu histórico de saúde bucal, poderá tomar medidas para minimizar danos potenciais, incluindo hipersensibilidade ao agente clareador.

Só um especialista poderá trazer os resultados esperados por meio da indicação correta do tratamento ideal para você.

Confira também o artigo:  Tudo o que você precisa saber sobre clareamento dental

CEIPE ODONTOLOGIA ESPECIALIZADA

Referência em odontologia há duas décadas, a CEIPE busca proporcionar um estado de bem-estar geral, com um atendimento humanizado. Os procedimentos consideram a individualidade de cada paciente, seu estilo de vida e suas expectativas diante dos tratamentos.

Cada caso é planejado de forma personalizada para proporcionar um resultado estético, funcional e duradouro. Por tudo isso, na hora de procurar uma clínica de clareamento dental a CEIPE é a melhor escolha.

CEIPE – CRO 350 – Responsável Técnico: Dr. Rafael Oliveira Rosa – CRO 2225

Dores no rosto e maxilar podem ser causados pelos dentes? | CEIPE Clínica de Odontologia

Dores no rosto e maxilar podem ser causados pelos dentes?

Dores no rosto e maxilar podem ser causados pelos dentes? | CEIPE Clínica de Odontologia

Dores no rosto e maxilar podem ser causados pelos dentes? A resposta para essa pergunta na maioria das vezes é sim. Por isso, se você tem dores no rosto e no maxilar é hora de procurar um dentista. O motivo é que muitas das causas desses desconfortos são de origem odontológica.

Neste artigo serão abordados os principais distúrbios articulares e musculares que envolvem o sistema mastigatório e seus tratamentos.

Problemas que podem causar dores no rosto e maxilar

Bruxismo

O movimento involuntário de apertar e ranger os dentes, conhecido como bruxismo provoca dor na musculatura ao abrir e fechar a boca, hipertrofia dos músculos, dores de cabeça constantes e até doenças periodontais. O bruxismo ocorre com maior frequência durante o sono e, na maioria das vezes, a causa do distúrbio é emocional.

A utilização de placas interoclusais é o mais indicado para tratamento do bruxismo e de outros distúrbios articulares e musculares que envolvem o sistema mastigatório.

Também conhecida como placa de mordida, é um acessório feito de acrílico e com o formato exato da sua arcada dentária. Sua função é aliviar os principais sintomas do problema, como dor e tensão na região da boca, mandíbula, cabeça e pescoço, além de evitar o desgaste dos dentes.

Abscessos dentários

Os sinais mais comuns de abscesso dentário são dor de dente, vermelhidão na área afetada, sensibilidade ao toque, presença de pus, dificuldade de abrir a boca ou mastigar, gânglios do pescoço inchados e dente escurecido. Há dois tipos de abscessos dentários: o periodontal e o periapical.

Abscesso periodontal

Ocorre quando uma infecção bacteriana se instala em alguma cavidade entre a gengiva e os ossos da face ou pescoço. Geralmente é tratado com uma raspagem subgengival da região infeccionada.

Em casos mais graves e não tratados, o abscesso periodontal pode evoluir para a osteomielite, uma infecção no osso causada pela bactéria que se encontra presente no abscesso dentário e que se espalha através da corrente sanguínea.

Abscesso periapical

É decorrente de um canal necrosado (morto). Um dente infeccionado que não recebe tratamento apropriado, por exemplo, pode formar um abscesso periapical. O tratamento de canal é o mais adequado nesses casos. Se o dente não puder ser salvo, deverá ser feita uma extração seguida de drenagem do dente.

Por isso, ao menor sinal do problema, marque imediatamente uma consulta com o dentista.

Transtornos de articulação temporomandibular (ATM)

Os transtornos da articulação temporomandibular ou ATM – que se localiza logo à frente dos ouvidos -, são o resultado de uma mordida muitas vezes desalinhada, quando o mecanismo de articulação que liga o maxilar superior e inferior não está funcionando corretamente.

A mordida inadequada pode causar um desgaste irregular dos dentes, dores musculares e dores de cabeça crônicas. É comum que as pessoas com esse tipo de problema apresentem também recessões gengivais, fraturas dentárias, entre outros prejuízos.

Por isso, usar aparelho ortodôntico pode ajudar a controlar muitos incômodos causados pela ATM.

Falta de dentes

A falta de dentes não é apenas uma questão estética. Nos casos em que a falta dos dentes não é corrigida, o paciente pode ter sérios problemas como modificação da mordida, perda da eficiência na mastigação, desconforto nas articulações da boca, entre outras complicações.

E um dos principais tipos de tratamentos odontológicos para devolver uma dentição completa e funcional é a implantodontia. Os implantes dentários substituem as próteses removíveis e dentaduras por dentes fixos, devolvendo a completa função da mastigação, evitando dores e desconforto.

Para cada caso de falta de dentes há uma indicação específica e deve ser acompanhado de um diagnóstico feito por um profissional capacitado.

Se você tem dores no rosto e no maxilar é bom procurar imediatamente um dentista. Fique atento, pois se esses problemas se agravarem podem chegar ao ponto de prejudicar gravemente a sua saúde.

 

 

Implante dentário Joinville - saiba porque escolher o CEIPE

Clínica de implantes dentários: por que escolher o CEIPE – [Recomendado]

Implante dentário Joinville - saiba porque escolher o CEIPENos últimos artigos, foram destacados vários benefícios sobre implantes dentários para a estética e a saúde bucal. Também foram detalhadas as principais dúvidas que as pessoas normalmente têm ao buscar esse tratamento que é uma solução duradoura e esteticamente indicada para quem sofre com a falta de um ou mais dentes. Agora é a hora de falar sobre o que você precisa saber ao buscar uma clínica de implantes dentários.

Confira quatro grandes diferenciais da CEIPE quando o assunto é  clínica de implantes dentários.

1- Em primeiro lugar, cirurgiões dentistas especialistas

A equipe de especialistas da CEIPE está em constante atualização e participa de congressos nacionais e internacionais para trazer o que há de mais moderno em odontologia restauradora e estética. Na CEIPE você encontra uma equipe multidisciplinar altamente capacitada em diversas especialidades da Odontologia e a Implantodontia é uma delas.

Dessa forma, além dos implantes dentários você pode contar com vários tratamentos para devolver a beleza e a qualidade do sorriso, em um único lugar como Dentística (Estética Bucal), Endodontia, Periodontia e Ortodontia.

A clínica oferece um atendimento integral e os serviços para uma avaliação completa das necessidades dos pacientes e indicação do melhor tratamento. Confira aqui os currículos dos cirurgiões dentistas da CEIPE que são especialistas em implantes dentários.

2- Materiais utilizados possuem referência mundial

Resinas, facetas e lentes de contato em porcelana, todos os materiais utilizados pela CEIPE são o que há de mais moderno na odontologia mundial tanto para estruturas simples ou mais complexas que são instaladas sobre os implantes dentários, feitos de titânio.

A qualidade dos materiais utilizados aumenta, ao mesmo tempo, a versatilidade e a facilidade na resolução de casos de maior grau de dificuldade, e também a sua durabilidade. Todos os materiais utilizados são biocompatíveis, ou seja, não sofrem rejeição pelo organismo e têm coloração que se assemelham perfeitamente aos dentes naturais.

3- Instalações e equipamentos modernos e confortáveis

A CEIPE une a excelência técnica ao conforto e à comodidade. Localizada na região central da cidade de Joinville, a clínica conta com instalações físicas e equipamentos planejados para dar tranquilidade ao paciente durante o atendimento. Oferece amplo estacionamento, ambiente climatizado, consultórios modernos e aconchegantes e acessibilidade aos portadores de necessidades especiais.

4- Compromisso, dedicação e transparência com os pacientes

Referência em odontologia há duas décadas, a CEIPE busca não apenas tratar a saúde bucal dos pacientes, mas também proporcionar um estado de bem-estar geral, com um atendimento humanizado. Os procedimentos consideram a individualidade de cada paciente, seu estilo de vida e suas expectativas diante dos tratamentos. Cada caso é planejado de forma personalizada para proporcionar um resultado estético, funcional e duradouro.

Ao procurar por uma clínica de implantes dentários, prefira a CEIPE. Assim você terá certeza de que fez a melhor escolha.

CEIPE – CRO 350 – Responsável Técnico: Dr. Rafael Oliveira Rosa – CRO 2225

 

Quando usar aparelho ortodôntico - CEIPE - Clínica de Odontologia Joinville

Quando usar aparelho ortodôntico?

Quando usar aparelho ortodôntico - CEIPE - Clínica de Odontologia Joinville

Ter um sorriso bonito é o que todos buscam. Mas muito além da estética, corrigir dentes tortos ou desalinhados é fator que contribui para a sua saúde e qualidade de vida como um todo.

O alinhamento da arcada dentária, por meio do uso de aparelhos ortodônticos, influencia muitos aspectos da saúde do paciente, facilitando a mastigação, a respiração, a dicção e a digestão.

Sem tratamento, a má oclusão (mordida) pode levar a problemas como recessões gengivais, fraturas dentárias, desgaste dos dentes, dores de cabeça, dores cervicais, entre outros.

Mas a pergunta é: quando usar aparelho ortodôntico? Veja neste artigo os principais sinais de atenção para você saber se está na hora de procurar um dentista para iniciar o tratamento de ortodontia.

Quando usar aparelho ortodôntico | 5 dicas

1- Má oclusão

Conhecida como mordida errada, a má oclusão é o mau encaixe da arcada dentária superior com a inferior. A mordida inadequada pode causar um desgaste irregular dos dentes, dores musculares e dores de cabeça crônicas. É comum que as pessoas com esse tipo de problema apresentem também recessões gengivais, fraturas dentárias, entre outros prejuízos.

2- Dentes tortos ou encavalados

É um dos sinais mais evidentes de quando usar aparelho ortodôntico. Além de contribuir para a baixa autoestima das pessoas, dentes tortos e desalinhados levam ao acúmulo de restos de alimentos, dificultando a higiene, podendo causar cáries, doenças periodontais, mau hálito e outras complicações. Nos casos mais graves, quando há apinhamento (dentes encavalados), é preciso iniciar o tratamento ortodôntico o quanto antes para liberar espaço e acomodar cada dente no lugar.

3- Bruxismo

Caracterizado pelo ranger e apertar dos dentes de forma involuntária, o bruxismo provoca um desgaste nos dentes, dor na musculatura ao abrir e fechar a boca, hipertrofia dos músculos, dores de cabeça constantes e até doenças periodontais. Sua causa está geralmente associada a fatores emocionais, mas dentes tortos e com má oclusão podem agravar o problema.

4- Espaços entre os dentes

Mais um dos sinais de quando usar aparelho ortodôntico, o espaçamento entre os dentes pode ter causas genéticas ou ocorrer pelo hábito de chupar dedo na infância. Pode acontecer ainda por conta da falta de dentes ou dentes que não nasceram.

Estes espaços causam ou agravam problemas gengivais como a periodontite pois deixam o tecido da gengiva entre os dentes expostos, o que aumenta o risco que sejam afetados pela placa bacteriana levando à inflamação e infecção.

Nesse caso, tratamentos associados de ortodontia e de periodontia são recomendados pois um depende do outro para evitar o aumento dos espaços e até a perda dos dentes.

5- Dor na ATM (articulação temporomandibular)

Dores na ATM (articulação temporomandibular) – que se localiza logo à frente dos ouvidos -, e dores de cabeça são o resultado de uma mordida muitas vezes desalinhada, quando o mecanismo de articulação que liga o maxilar superior e inferior não está funcionando corretamente.

Por isso, usar aparelho ortodôntico pode ajudar a controlar muitos incômodos causados pela DTM (disfunção na articulação temporomandibular).

Tipos de Aparelhos e Indicações

Os aparelhos ortodônticos podem ser fixos e móveis e para cada caso apresentado acima existe uma indicação:

Aparelhos fixos

Dentre os fixos, há o tradicional braquete. Mas para quem se preocupa com o famoso “sorriso metálico” já há braquetes mais estéticos e discretos, fabricados em cerâmica.
Há ainda a opção dos aparelhos ortodônticos invisíveis, que são moldeiras removíveis, de fácil adaptação, higienização e muito confortáveis quando comparados aos braquetes.

Aparelhos móveis

Entre os aparelhos ortodônticos móveis há os ortopédicos, de contenção, placas, entre outros. São mais indicados para crianças ou pequenas movimentações dentárias.

Conclusão

Agora que você já sabe quais as situações em que o tratamento ortodôntico pode ser necessário e se você identificou um ou mais destes sinais de alerta, busque as informações mais detalhadas sobre o seu caso.

CEIPE – CRO 350 – Responsável Técnico: Dr. Rafael Oliveira Rosa – CRO 2225

Como corrigir dentes tortos ou desalinhados? CEIPE - Clínica Odontológica Joinville

Como corrigir dentes tortos ou desalinhados?

Como corrigir dentes tortos ou desalinhados? CEIPE - Clínica Odontológica Joinville

É fato que um sorriso bonito aumenta a autoconfiança, como também a qualidade de vida das pessoas. Para aqueles que têm dentes tortos ou encavalados, uma boa notícia: com a evolução da odontologia estética há tratamentos muito eficazes para o realinhamento dos dentes.

Confira neste artigo como corrigir dentes tortos ou desalinhados.

Aparelhos ortodônticos

Os aparelhos ortodônticos são indicados quando ocorre má oclusão, conhecida como mordida errada (mau encaixe da arcada dentária superior com a inferior), para corrigir dentes tortos ou encavalados, falta de dentes, espaçamento entre os dentes e bruxismo.

É recomendado que os pais levem seus filhos já a partir dos 7 ou 8 anos para realizar uma avaliação ortodôntica. Com isso, é possível verificar a necessidade de realizar o tratamento e quando é o melhor momento de iniciá-lo (que pode variar para cada caso). É importante ressaltar também que pessoas de todas as idades podem fazer o procedimento, desde que indicado e acompanhado por um dentista.

O tratamento em conjunto com outras especialidades como periodontia, implantodontia, cirurgia bucomaxilofacial e dentística (estética) possibilita um melhor resultado na reabilitação oral. A falta de dentes, por exemplo, é um fato muito presente em adultos e, em alguns casos, para recuperá-los com implantes é preciso ortodontia prévia.

Saiba mais sobre quando usar aparelho ortodôntico nas dicas de saúde bucal da CEIPE.

Facetas e lâminas em porcelana

Se, no seu caso o problema for apenas estético e não precisar de aparelhos ortodônticos, então como corrigir dentes tortos ou desalinhados? Por sua facilidade e resultados estéticos, o procedimento de faceta dentária tem sido cada vez mais procurado.

As facetas dentárias são próteses de porcelana fina, coladas na frente dos dentes, proporcionando um sorriso perfeito. São usadas para corrigir dentes manchados ou desalinhados. Uma das vantagens deste procedimento é que o desgaste do dente é mínimo, em torno de apenas 0,5 mm da porção da frente do dente.

Facetas de porcelana

As facetas de porcelana agregam ganhos estéticos e de resistência. Dentes com muitas restaurações dentárias, com desgastes severos por bruxismo e mal posicionados podem ser recuperados perfeitamente com esta técnica.

Facetas em resina composta

As facetas em resina composta são menos populares porém oferecem algumas vantagens. O tempo de tratamento é bastante inferior ao das facetas de porcelana. São ideais para urgências estéticas como uma entrevista de emprego, formaturas e casamentos.

Lente de contato dental

A lente de contato dental é uma lâmina de porcelana ultrafina que corrige imperfeições como espaçamentos, fraturas e manchas, além de fazer correções suaves na cor e na forma dos dentes. É um procedimento não invasivo, resistente, com grande durabilidade e com excelentes resultados. Não há necessidade de desgaste dos dentes naturais para fixação das lâminas.

Conclusão

Agora que você já sabe como corrigir dentes tortos, busque as informações mais detalhadas sobre o seu caso. Independentemente do tipo de aparelho ou técnica estética a ser utilizada, todo o procedimento deve sempre ser feito e acompanhado por um cirurgião-dentista. A indicação e o monitoramento pelo especialista garantirão a eficácia e a segurança do tratamento.

CEIPE – CRO 350 – Responsável Técnico: Dr. Rafael Oliveira Rosa – CRO 2225

Os riscos de fazer clareamento dental sem acompanhamento do dentista - Clínica Odontológica CEIPE

Os riscos de fazer clareamento dental sem acompanhamento do dentista

Os riscos de fazer clareamento dental sem acompanhamento do dentista - Clínica Odontológica CEIPE

No post de hoje vamos abordar um tema importante, para alerta vocês sobre os riscos de fazer clareamento dental sem o acompanhamento do dentista.

Um alerta para os viciados em clareamento dos dentes, que buscam opções caseiras ou nas farmácias sem aprovação e acompanhamento de um dentista!

Ao usar produtos de clareamento, sem supervisão de um dentista, muitos dos quais contendo níveis inseguros de peróxido – composto ativo mais utilizado para o procedimento -, há diversos riscos envolvidos.

Pastas clareadoras, por exemplo, contêm abrasivos que removem manchas superficiais mas que desgastam o dente, o que fragiliza sua dentina, causando sensibilidade. Além de comprometer o esmalte dos dentes, também podem causar queimaduras químicas em seus tecidos moles.

No entanto esses riscos só ocorrem em caso de excesso de clareamento e sem a orientação de um especialista.

Por isso, buscar tratamento especializado para resolver o problema de dentes amarelados ou manchados é um dos principais motivos para procurar um dentista.

Os principais riscos do clareamento dental, sem acompanhamento profissional incluem:

  • Sensibilidade permanente de gengiva ou dente.
  • Dano às raízes dentárias.
  • Erosão do esmalte.
  • Resultados irregulares (manchas e dentes com colorações distintas).
  • Dano nas mucosas da boca (queimaduras).

Clareamento dental seguro

Todos esses problemas podem ser causados por exposição do agente clareador em altas concentrações e por falta de barreiras de contenção adequadas. Realizar o tratamento de clareamento dental com um dentista experiente ajudará a minimizar riscos e efeitos colaterais.

Isso porque os tratamentos profissionais, mesmo aqueles realizados em casa, usam moldeiras de clareamento customizadas a partir de um molde perfeito de sua mordida realizado em consultório. Desta forma, seu dentista pode ajudar a garantir que o gel de clareamento não entre em contato com tecido da gengiva.

A indicação e aplicação de um produto seguro também é tarefa que deve ser feita por um especialista para evitar alguns dos principais riscos do clareamento dental.

E, apesar do nosso organismo ter o poder de remineralizar essa perda e os dentes voltaram à sua dureza natural, manter a concentração adequada é fundamental para evitar problemas de hipersensibilidade, com danos na mucosa da boca e nas raízes dos dentes.

Nas dicas de saúde bucal da CEIPE, confira ainda tudo o que você precisa saber sobre clareamento dental.

Como foi visto, um tratamento feito por um profissional de odontologia é uma opção estética segura, evitando todos os riscos de um clareamento dental mal conduzido.

Quando o seu dentista está ciente de condições pré-existentes e de seu histórico de saúde bucal, poderá tomar medidas para minimizar danos potenciais, incluindo hipersensibilidade ao agente clareador.

Siga as instruções precisamente e nunca realize um tratamento de clareamento extra sem o conhecimento e a aprovação do seu dentista.

 

8 motivos para procurar um dentista regularmente - Clinica Odontológica CEIPE

8 motivos para procurar um dentista regularmente

8 motivos para procurar um dentista regularmente - Clinica Odontológica CEIPE

A correria do dia a dia pode fazer você esquecer de cuidar dos dentes como deveria. Mas saiba que além da correta higiene bucal diária é importante frequentar o consultório odontológico ao menos uma vez ao ano, de forma preventiva e não apenas quando surgem problemas, como a cárie.

Adiar a visita ao dentista por medo ou esquecimento só tende a agravar um quadro sério que pode comprometer toda a sua saúde. E quando o problema já está instalado, torna a consulta desagradável e traumática, na maioria das vezes.

Confira oito bons motivos para procurar um dentista.

1- Prevenção

Se você faz uma boa higiene bucal, com a escovação correta após as refeições e o uso do fio dental, parabéns. Você está fazendo o que é certo para manter a sua saúde e o seu sorriso. Mas isso não quer dizer que você não tenha motivos para procurar um dentista pelo menos uma vez ao ano.

Esse especialista irá fazer uma limpeza profilática e aplicar flúor. Além de investigar qualquer problema que possa ocorrer com o tempo e o desgaste natural dos dentes. Dessa forma, é possível atuar de forma preventiva para manter os dentes saudáveis e bonitos.

2- Halitose (mau hálito)

A halitose, ou mau hálito, não é uma doença, mas sim um sinal de que há algo errado com a saúde. No Brasil, três, de cada 10 pessoas sofrem com o problema, o que corresponde à cerca de 50 milhões de pessoas. Pode ocorrer pelo tipo de alimento que você ingeriu, consumo de álcool ou tabaco, doenças como diabetes ou problemas estomacais e até estresse.

No entanto, a principal causa da halitose é a má higiene bucal que leva à um quadro de inflamação na gengiva e saburra lingual, provocadas por placas bacterianas.

Se não houver a escovação correta dos dentes e o uso do fio dental, restos de alimentos podem ficar alojados entre os dentes e gengiva e sua decomposição traz o mau cheiro.

O especialista mais indicado para dar o diagnóstico e fazer o tratamento da halitose é o dentista. Ele irá realizar exame bucal para identificar as condições da gengiva, dentes, língua, bochechas, lábios e até mesmo das amígdalas e recomendar o tratamento adequado.

3- Má oclusão (mordida)

A oclusão dentária é o contato dos dentes superiores com os inferiores ao fechar a boca. Qualquer alteração nesse mecanismo é chamada de má oclusão dentária que pode trazer danos para os dentes, gengivas, ossos, músculos, ligamentos e articulações.

O problema causa dores de cabeça, mandíbula e ouvido, dificuldade na mastigação, perda de dentes e até pode ser responsável por causar má postura e desvios na coluna.

Como esses sintomas muitas vezes não são associados à má oclusão, o problema apenas pode ser identificado por um dentista durante consultas de rotina.

Por isso, é recomendado consultar um especialista para iniciar o tratamento, que pode incluir o uso de aparelho ortodôntico ou cirurgia.

4- Desgastes dos dentes (bruxismo)

Caracterizado pelo ranger e apertar dos dentes de forma involuntária, o bruxismo provoca um desgaste nos dentes, dor na musculatura ao abrir e fechar a boca, hipertrofia dos músculos, dores de cabeça constantes e até doenças periodontais. O bruxismo ocorre com maior frequência durante o sono, o que dificulta a sua percepção.

Na maioria das vezes, a causa do distúrbio é emocional. Por isso, é bem difícil de ser controlado, mas a placa de mordida pode ser uma boa opção de tratamento.

São acessórios feitos de acrílico e com o formato exato da sua arcada dentária. Elas aliviam os principais sintomas do problema, como dor e tensão na região da boca, mandíbula, cabeça e pescoço, além de evitar o desgaste do dentes.

5- Sangramento da gengiva

Para saber porque a gengiva sangra é importante buscar a orientação de um especialista que fará uma análise e diagnóstico. O mais provável é que haja um quadro de inflamação ocorrendo, como a gengivite ou a periodontite, causadas por placa bacteriana.

Caso não seja removida por meio de escovação ou pelo uso diário do fio dental, a placa dental se transforma em tártaro, um material de superfície áspera que facilita a retenção de mais placa. As bactérias dessas regiões podem infectar a gengiva e dentes, induzindo a perda de osso.

Neste caso, apenas um dentista poderá fazer a remoção por meio de uma limpeza profissional, como a raspagem subgengival. Um tratamento periodontal adequado e melhoria da higiene bucal normalmente ajudam a evitar mais danos à gengiva, aos tecidos de suporte.

6- Cárie

Em estudo feito pela Universidade Federal de Santa Catarina e publicado na Revista de Saúde Pública foi levantado que 40% dos adolescentes brasileiros, entre 15 e 19 anos, perderam ao menos um dente em toda a sua vida, e a cárie foi responsável em 93% dos casos.

A má higienização ou a ingestão de açúcares em excesso causam o acúmulo de bactérias na boca, alterando o pH da região — devido aos ácidos liberados por elas — e causando fissuras e buracos.

Além das dores intensas, os casos extremos e não tratados a tempo levam à perda total do dente. Por isso, evitar a cárie é um dos principais motivos para procurar um dentista regularmente.

7- Dentes amarelados

Dentes brancos e com aparência uniforme e sem manchas contribuem muito para a estética do sorriso. Pode haver fatores genéticos envolvidos para que algumas pessoas tenham dentes mais brancos ou mais amarelados.

Porém, uma má escovação, certos remédios e hábitos como cigarro, ingestão de alimentos e bebidas muito pigmentadas (como vinho, refrigerantes e café) contribuem para o seu escurecimento ao longo do tempo.

Para ter um sorriso branco e impecável, as técnicas de clareamento estão entre os tipos de tratamentos odontológicos mais procurados e são bastante eficazes. Assim para que você tenha dentes mais brancos e brilhantes, o primeiro passo é procurar um dentista para avaliar as indicações para o seu caso.

8- Perda de dente

Quem pensa que a falta de dentes  é apenas uma questão estética se engana. Essa condição prejudica a mastigação, trazendo dores, desconforto e até a dificuldade de ingestão e digestão de alimentos e a absorção de seus nutrientes.

Mas se a perda de dente já é uma realidade, os implantes dentários substituem as próteses removíveis e dentaduras por dentes fixos, devolvendo a completa função da mastigação, fonética e estética.

Para cada caso de falta de dentes há uma indicação específica e deve ser acompanhado de um diagnóstico feito por um profissional capacitado.

Como você viu, são muitas e variadas as situações que comprometem a sua saúde bucal e que podem ser evitadas pela visita regular ao seu dentista. Então não espere por um motivo.